Toyota fará elétrico com baterias revolucionárias até 2022

Toyota fará elétrico com baterias revolucionárias até 2022

Novo Toyota elétrico com baterias SSB

Novo Toyota elétrico com baterias SSB

Se nos automóveis a combustão a maior revolução nos últimos tempos foi o motor VC-T da Infiniti, com compressão variável, no campo dos elétricos pode parecer que as evoluções serão menores. Ledo engano. E a Toyota já prepara uma das primeiras (e maiores) revoluções entre os modelos movidos a eletricidade. Será o uso de baterias de estado sólido, ou solid-state batteries (SSB), como elas também são chamadas, no lugar das de íons de lítio, segundo a agência Automotive News.

Leia também:

Marca de elétricos Lucid Motors pode ser comprada pela Ford
Nissan diz que elétricos serão 20% de suas vendas na Europa
BMW Série 3 totalmente elétrico estreará no Salão de Frankfurt

Publicidade

Com o uso de eletrólitos sólidos, as baterias que a Toyota pretende usar em seus novos elétricos são consideradas muito mais seguras, sem o mesmo perigo de pegar fogo que as de íons de lítio oferecem. E que o caso do Samsung Galaxy Note 7 e o acidente de Richard Hammond com um Rimac Concept_One ilustram muito bem.

Toyota desenvolve elétrico com bateria de estado sólido

Mas a fabricante japonesa está de olho em outras vantagens deste tipo de bateria, como o tempo mais curto de recarga e a autonomia maior. Dois fatores muito bem-vindos no uso veicular. A própria Samsung já prevê fazer celulares com este tipo de bateria em até 2 anos.

Toyota desenvolve elétrico com bateria de estado sólido

Mas a coisa vai mais longe. John Goodenough, o pai das baterias de íons de lítio, que são o padrão atual, anunciou em 28 de fevereiro deste ano que conseguiu um tremendo avanço justamente nas SSB. Em publicação da Universidade do Texas, ele e a pesquisadora portuguesa Maria Helena Braga revelaram uma SSB que usa eletrólitos de vidro e que tem 3 vezes a densidade energética das baterias de íons de lítio atuais. Em outras palavras, ela armazena 3 vezes mais energia, o que a torna potencialmente mais leve.

Outra vantagem da bateria dos pesquisadores é que ela tem um ciclo de vida mais longo (aguenta mais recargas sem se deteriorar), pode ser feita de materiais mais amigáveis ao ambiente (ela usa sódio em vez de lítio) e funciona bem a até -20ºC. Isso a torna a única SSB capaz de operar a temperaturas inferiores a 60ºC.

Será que a Toyota uniu esforços com Goodenough? Se não fez isso, deveria. Afinal, o pai das baterias de íons de lítio, hoje com 94 anos, é um cara que sabe das coisas…

Fonte: Automotive News

Fotos: divulgação


Publicidade