Renault Sandero perde câmbio Easy’R e abre espaço para CVT

Renault Sandero perde câmbio Easy’R e abre espaço para CVT

renault-sandero-10-sce

A Renault começa a movimentar a linha do Sandero e do sedã Logan com algumas das mudanças esperadas para o ano que vem. O hatchback deixou de ser vendido com o câmbio automatizado Easy’R e agora só conta com o manual de 5 marchas. Isso acontece porque a marca irá equipar o compacto com a transmissão CVT utilizada também no Duster e Captur, o que irá acontecer no mesmo momento em que lançarem a versão reestilizada.

Publicidade

Leia também:

Além de perder a opção automatizada, o Sandero também dá adeus à versão Dynamique. Passa a ser comercializado em cinco versões: Authentique 1.0 (R$ 43.430), Expression 1.0 (R$ 47.040), Expression 1.6 (R$ 52.220), Vibe 1.0 (R$ 49.250) e GT Line 1.6 (R$ 57.020). O esportivo Sandero R.S. é considerado um carro à parte e continua a ser vendido por R$ 63.600, subindo para R$ 66.600 na configuração Racing Spirit.

Ainda não é o fim do câmbio Easy’R. Ele segue equipando o sedã Logan na configuração Dynamique 1.6, por R$ 58.200, assim como o aventureiro Stepway, na mesma versão, vendida por R$ 65.640. Lembrando que agora a Renault trata o Stepway como um carro separado do Sandero, embora seja uma variação do hatch.

Renault Sandero

Facelift

No começo de 2018 veremos a reestilização de Sandero e Logan, seguindo parte das mudanças já apresentadas para a África do Sul. Ao lado do Stepway, o trio apareceu no registro de desenho industrial do INPI. Deverão seguir com a motorização atual, composta pelo 1.0 SCe de 82 cv e e 1.6 SCe de 118 cv, com a diferença que o 1.6 agora poderá ser acoplado ao câmbio CVT. Com o lançamento do Kwid (que vem roubando vendas do Sandero), o hatch maior virá um pouco mais refinado para atender o público que não quer um compacto tão simples.

Fotos: divulgação

Comentários Motor1


Publicidade